Aprendendo de graça e sem sair de casa

Padrão

Trabalho na área de comunicação de uma universidade e, em entrevistas que fiz em diferentes momentos com alguns professores, comprovo o que leio em algumas reportagens. Os jovens hoje – me refiro ao pessoal da faixa dos 20, 20 e poucos anos –, de maneira geral têm apenas “informações de cinco linhas”.

No jornalismo, nessas “cinco linhas” estão as informações básicas da notícia: o que, quem, quando, onde, como e porque – o tal do lide. E é por isso que a maior parte desse pessoal para por aí. Não se interessa em saber os desdobramentos, ler as opiniões das demais fontes com diferentes pontos de vista ou chamando a atenção do leitor para algum detalhe que não tínhamos pensado.

Se a internet proporcionou o acesso a uma quantidade enorme de informação, a questão é saber filtrar o que se lê, ouve ou vê. E isso não é novidade para ninguém. Mas o ponto é que, de maneira geral, preferimos conteúdos que muitas vezes não nos fazem crescer – me incluo nisso porque não dá para ser certinha o tempo todo hehe ;).

Por outro lado, as pessoas se queixam de não ter tempo para várias coisas, mas em diversos momentos não sabem aproveitar o tempo livre – muito ou pouco – que têm. Soube outro dia do site www.veduca.com.br, só que acabei me esquecendo dele. Esta semana me deparei com ele novamente. Para quem não conhece, ele disponibiliza milhares – e não é exagero – de vídeoaulas com legendas em português de universidades conceituadas como Berkeley, Harvard, MIT, Yale e da USP também.

Nesses dias, tenho visto vídeos com palestrantes do TED sobre “Criatividade na resolução de problemas” em que eles mostram exemplos de como fazer isso, principalmente por meio da educação. Fui surpreendida de maneira muito positiva com a Tinkering School e com o Projeto H.

A confirmação de que estava certa quanto ao assunto do post veio hoje de manhã, ao ouvir o Gilberto Dimenstein, na CBN, sobre uma iniciativa das universidades federais – a Universidade Livre do Brasil. A ideia é disponibilizar gratuitamente o conteúdo de aulas e de seminários de diversos assuntos. Como o Dimenstein disse bem, “isso não exclui a sala de aula, mas o que é muito legal é que os conteúdos podem ser compartilhados com qualquer pessoa de qualquer lugar do mundo”. E ele ainda citou o Veduca.

Se eu fosse você, não perdia mais tempo não e ia logo lá ver que negócio é esse! E o melhor: é de graça 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s